Notícias

1 de Janeiro de 2001 às 23:59

Posse coletiva no governo federal ficará para fevereiro

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tomará posse no próximo dia 1º de janeiro, às 16 horas, junto com o vice José Alencar, mas a foto com o novo ministério só acontecerá um mês depois, quando Lula os integrantes do primeiro escalão pelos próximos quatro anos. A confirmação foi feita na quarta-feira pelo assessor especial da Presidência, Cézar Alvarez, responsável pela comissão encarregada de organizar a festa da posse. A estratégia, já anunciada por Lula algumas vezes, rompe a tradição de posse coletiva de um novo ministério junto com o presidente. A festa será menor do que a de 2003 e custará aproximadamente R$ 1,1 milhão. O presidente e o vice desfilarão pela Esplanada no Rolls Royce Presidencial, estacionado em frente à Catedral, dirigindo-se até o Congresso Nacional, onde Lula fará um discurso e será oficialmente empossado. A cerimônia no Parlamento deve durar uma hora e meia. Ao deixar o Legislativo, o presidente passa em revista o pelotão dos Dragões da Independência e ouve a salva de 21 tiros. Lula segue para o Planalto, onde espera por cerca de 30 até que todos os convidados se desloquem do Congresso até a sede do Executivo. Dentro do Palácio, aproximadamente 1,5 a 1,8 mil convidados, entre governadores, 18 prefeitos escolhidos para representar as entidades municipais, ministros, diplomatas e chefes dos demais Poderes - Aldo Rebelo (PCdoB-SP), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Ellen Gracie (STF). Cada ministro ficou responsável por escolher doze personalidades ligadas à sua área de atuação - empresários, artistas, beneficiários do Bolsa-Família, catadores de papel. " Eles são parceiros do governo. Não se trata de uma propaganda oficial, o governo está prestando uma homenagem ao conjunto do povo brasileiro " , disse Alvarez. Lula não receberá a faixa presidencial de ninguém. Ao dirigir-se ao Parlatório para proferir seu discurso, já estará com a faixa. Esse discurso ainda está em fase final de elaboração. Para encerrar o dia festivo, está previsto um show com Leci Brandão, Olodum, Surdodum (Banda de percussão formada por portadores de deficiência auditiva), Geraldo Azevedo, Zé Mulato e Cassiano, Renato Matos e Célia Porto. A presença dos governadores, contudo, é incerta. Muitos têm posse marcada para a tarde do dia 1º, o que inviabilizaria o deslocamento para Brasília. Fonte (Valor Econômico)



Sindicato dos Bancários de Dourados e Região - MS

Rua Olinda Pires de Almeida, 2450 Telefone 0xx67 - 3422 4884