Banco Santander

13 de Setembro de 2019 às 08:59

Justiça condena Santander por assédio moral

Por práticas de transtornos o Santander está sendo condenado em abrangência nacional, a pagar multas e indenizações por metas abusivas, lesão à saúde dos empregados e prática de assédio moral contra os funcionários. Os valores da indenização chegam a R$ 274.441.432,82 em até cinco parcelas anuais de igual valor.

Casos que vem sendo verificado com frequência e que volta e meia os bancários são obrigados a lidar com assédio moral por metas abusivas, afixação de ranking de desempenho nas paredes dos locais de trabalho, provocações e cobranças intensas. Isso, sem dúvida, prejudica a saúde mental dos empregados, tanto que o banco responde por 15,31% dos benefícios concedidos pelo INSS por transtornos psiquiátricos decorrentes do trabalho. 

Além disso, foram constatados mais de 2.000 casos de transtornos mentais relacionados ao trabalho em 22 unidades da federação entre 2010 e 2015. No entanto, os casos foram tão negligenciados, que nem ao menos chegaram a Justiça. Um absurdo.

Com a sentença, até a chamada "meta negativa" - que o empregado perdia pontos quando o cliente fazia saques ou resgatava aplicações - foi banida.  O Santander agora deve implantar um novo sistema de metas, estabelecido por negociação coletiva com as entidades sindicais, a ser implantada a partir do dia 1° de janeiro de 2020. Caso as variáveis não sejam cumpridas, o banco deverá pagar multas que vão de R$ 20 mil a R$ 600 mil. 



Diretoria

Walter Teruo Ogima
Diretor Financeiro
Laudelino Vieira dos Santos
Diretor de Formação Sindical
Marcos Mota Medalha
Diretor de Esporte, Cultura e Lazer
Gilberto Benites
Titular
Paulo Rodrigues de Castro
Suplente
Ronaldo da Silva Costa
Suplente

Sindicato dos Bancários de Dourados e Região - MS

Rua Olinda Pires de Almeida, 2450 Telefone 0xx67 - 3422 4884