Banco do Brasil

5 de Setembro de 2019 às 09:29

Funcionários do BB reivindicam mudanças nas Centrais de Relacionamento

A CEFBB (Comissão de Empresa dos Funcionários) se reuniu na quarta-feira (4/09), em Curitiba, com representantes do Banco do Brasil para tratar de questões específicas dos funcionários das CRBBs (Centrais de Relacionamento do banco).

“Houve uma mudança do perfil de trabalho realizado nas Centrais. Elas deixaram de apenas atender a demanda e passaram a realizar consultoria sobre os produtos do banco. Por isso, tivemos que fazer o levantamento dos principais problemas enfrentados pelos trabalhadores. Hoje apresentamos esses problemas para o banco. Foi uma mesa de negociação para iniciarmos esse debate, que não se encerra agora”, explicou o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil, João Fukunaga.

Fukunaga explicou que, apesar de não poder haver venda ativa de produtos pela CRBB, os funcionários passaram a ter metas sobre o receptivo a cumprir. Estas, assim como acontece com os demais funcionários, também são mensuradas pelo “Conexão”, a ferramenta de mensuração de metas do banco.

Segundo o coordenador da CEFBB foi apresentada uma série de pontos que podem ser agrupados entre questões de gestão, de pessoal e de valorização (veja abaixo relação de pontos levantados).

O banco acolheu as questões levantadas e ficou de analisar cada ponto. Uma ação imediata foi uma visita conjunta entre Sindicato e a Gepes (Gerência Regional de Gestão de Pessoas) na CRBB, para tratar de possíveis soluções de treinamento, cursos e como condições de trabalho.

Temos um encaminhamento do assunto e agora os funcionários da CRBB terão uma atenção maior do banco. Todos nós esperamos que as reivindicações sejam atendidas para que haja melhorias nas condições de trabalho e de saúde dos trabalhadores. A categoria espera a resposta do banco.

Gestão de pessoas

Durante a reunião, os representantes dos trabalhadores também foram informados que haverá mudanças na Gepes, que passarão a produzir soluções para as dependências. Dentro da nova estrutura, haverá um segmento responsável pela CRBB, que poderá verificar todas as questões apresentadas pelos funcionários e será responsável por tratar desse assunto com os representantes dos trabalhadores.

Questões apresentadas

  • Sobrecarga do atendimento nas CRBBs pela fata de funcionários;
  • cargos vagos não são repostos por falta de concursos para contratação de novos funcionários;
  • funcionários sentem-se pouco reconhecidos, ainda que sejam bem qualificados com cursos, graduação, pós-graduação e certificações;
  • diferença entre cobrança em relação a metas e disponibilidade para atendimento, de acordo com a tipificação de atendimento;
  • falta de clareza nas metas e cobrança excessiva;
  • falta de clareza nos critérios para pagamento do PDG;
  • falta de plano de carreira na CRBB e perspectiva profissional (Plano de Cargos e Salários);
  • falta programa de capacitação dos funcionários para o atendimento de determinados “skills” (produtos de investimento/captação, ações etc.), embora possam ter certificação (CPA20/CEA) para esse tipo de atendimento;
  • sobrecarga de ligações para o atendimento do ATA das agências, e demais atendimentos, devido à falta de funcionários e ligações sem pausas adequadas;
  • valorização dos atendentes/consultores, com valor de referência (VR) compatível com as metas de negócios e seja atrativo para o encarreiramento no BB.

Fonte: Contraf-CUT



Diretoria

Carlos Alberto Longo
Vice-presidente
Alcindo Machado Franco
Suplente
Marcos Pereira Araújo
Suplente
Claúdio Aparecido dos Santos
Suplente
Daniela M. da Costa
Suplente
Christian Luiz Pereira
Suplente

Sindicato dos Bancários de Dourados e Região - MS

Rua Olinda Pires de Almeida, 2450 Telefone 0xx67 - 3422 4884