Banco Bradesco

23 de Novembro de 2021 às 11:13

Sindicato fecha agência do Bradesco em protesto contra demissões

O protesto acontece na Agência Marcelino Pires, que permanecerá fechada durante todo o dia

O Bradesco demite empregados por todo o Brasil. São mais de 8 mil trabalhadores colocados para fora em 12 meses, apesar de ter lucrado R$ 19,6 bilhões nos nove primeiros meses do ano. São pais e mães de famílias que dedicaram anos de sua vida contribuindo para o crescimento da empresa e que são jogados a própria sorte em plena pandemia.

Para cobrar respeito aos funcionários, que dão duro diariamente para atender os clientes e vivem apreensivos com medo de serem desligados no final do dia, e ao povo brasileiro, o Sindicato dos Bancários de Dourados e Região está realizando uma manifestação nesta terça-feira (23) em Dourados. O protesto acontece na Agência Marcelino Pires, que permanecerá fechada durante todo o dia. A atividade, que acontece em todo o país, faz parte do Dia Nacional de Luta contra as demissões no Bradesco.   

Segundo Carlos Longo, presidente do sindicato, esta é uma das agências do banco na base do Sindicato dos Bancários de Dourados e Região que foi transformada em unidades de negócios, que privilegiam apenas as áreas comerciais, colocando fim nos setores operacionais e administrativos do banco.

“Além de transformar agências em unidades de negócios, que na prática sobrecarrega os bancários das outras agências no atendimento aos clientes e usuários, o banco ainda fechou centenas de agências em todo o Brasil, inclusive em Dourados”, denuncia Longo.

No protesto, com carro de som, faixas e distribuíção de panfletos, os diretores do Sindicato estão alertando a população para o fechamento das unidades bancárias e denunciando as demissões. Em um ano mais de mil agências foram fechadas em todo o país, outras tantas transformadas em agências de negócios, além de centenas transformadas em PA (Posto de Atendimento).

Segundo o Diretor do Sindicato e representante da Fetec-CN/CUT na COE do Bradesco, Edegar Martins, só no Mato Grosso do Sul foram aos menos 36 demissões, sendo destas, 6 em Dourados.

“Além de sobrecarregar os empregados que ficam nas agências, a política de cortes da empresa precariza o atendimento para os clientes. Os correntistas são obrigados a esperar horas na fila para serem atendidos e ainda ficam expostos ao vírus, em plena pandemia de Covid-19”, lembra Edegar.

O Sindicato dos Bancários de Dourados e Região permanecerá na luta em defesa do emprego dos bancários, por melhores condições de trabalho e atendimento digno para a população, cobrando que a direção do Bradesco respeite os trabalhadores que constroem essa marca e que a transformaram em uma das mais valiosa da América Latina.



Diretoria

Edegar Alves Martins
Diretor Org. Sup. Adm.
Joacir Rodrigues de Oliveira
Diretor de Imprensa e Comunicação
Janes Estigarribia
Diretora de Saúde e Cond. de Trabalho
João Batista dos Santos
Diretor de Assuntos Jurídicos
Ivanilde dos Santos Fidelis
Diretora Politicas Sindicais
Dulcinéia Duarte Machado
Suplente
Carlos Alberto Aparecido Farias
Suplente
Euclésio José Carollo
Suplente
Fernando Stocco Missiato
Suplente
Henrique Rodrigues dos Reis
Suplente
Juliana Junqueira Franco Marrelli
Suplente
Marcelo Lopes de Souza
Suplente
Mitsuru Yamassaki
Suplentes

Sindicato dos Bancários de Dourados e Região - MS

Rua Olinda Pires de Almeida, 2450 Telefone 0xx67 - 3422 4884